sábado, 9 de janeiro de 2016

N S Rosa Mistica - 13 julho


Esta será a minha Hora de Graça Pierina Gilli, trabalhava como enfermeira em um hospital localizado em Montichiari, ou Montes Claros, na Itália.

Na Primavera do ano de 1947, estando sozinha em uma das salas do hospital, viu uma bela mulher que “usava um vestido violeta e um véu branco ao redor da cabeça. Parecia muito triste e tinha os olhos marejados de lágrimas que caíam no chão. Três grandes espadas perfuravam-lhe o seio”. A bela Senhora disse apenas três palavras: “Oração – Penitência – Reparação” .

Na 2a. aparição em 13 de Junho de 1947 – um domingo – estava agora vestida de branco. Não trazia as três espadas e sim três rosas nas cores branca, vermelha e amarela. Pierina perguntou-lhe: “Quem é você?!” 
A Senhora sorriu: “Sou a Mãe de Jesus e a Mãe de todos vocês”. 

Desejava que o dia 13 de cada mês fosse celebrado como dia de Maria. Prometeu que nesse Seu dia, daria aos que a reverenciassem“uma superabundância de graças e grande santidade”. Desejava que o dia 13 de cada mês fosse celebrado em honra à “Rosa Mística”.

Nossa Senhora explicou o significado das espadas que lhe atravessavam o seio na primeira aparição: A primeira espada significava a perda da vocação de um Sacerdote ou Monge. A segunda espada representava sacerdotes, monges e freiras que viviam em pecado mortal.A terceira espada simbolizava sacerdotes e monges que cometem a traição de Judas, e que, ao abandonarem a vocação, também perdem a fé e a bem-aventurança eterna, tornando-se assim inimigos da Igreja.

O significado das três rosas que trazia: A branca simbolizava o espírito de oração; a vermelha, espírito de reparação e sacrifício; a amarela, espírito de penitência.
Na terceira aparição em Outubro de 1947 deixa uma mensagem em que se coloca como << medianeira de um modo especial pelas almas consagradas.

Na aparição de Novembro do mesmo ano – a quarta – Nossa Senhora faz uma forte exortação sobre os muitos e graves pecados cometidos contra a santa pureza.

Na quinta aparição, em 22 de Novembro de 1947, Nossa Senhora promete a Pierina que voltará à Igreja no dia 8 de dezembro, pelo meio-dia, quando será a “Hora da Graça”. Pierina pergunta-Lhe: o que significa “Hora da Graça?” – Nossa Senhora lhe responde: “Conversões em massa”.

A sexta aparição acontece dentro da igreja no dia 07 de Dezembro de 1947Estava envolvida num manto branco e trazia ao lado um menino e uma menina. Neste momento Pierina pôde contemplar o Coração resplandecente de Nossa Senhora e ouvir: “Quero mostrar o Meu Coração Imaculado que dos homens é muito pouco conhecido”.
Pierina pergunta-Lhe: Quem são estas crianças? “São Jacinta e Francisco”,responde Nossa Senhora. “Eles a acompanharão nos momentos difíceis pois, embora crianças, menores que você, sofreram bastante. O que peço a você é: bondade e simplicidade como estas crianças”. E desapareceu.

No dia 08 de Dezembro, na sétima aparição, Nossa Senhora aparece sorrindo, de pé, sobre uma escadaria branca, enfeitada nas laterais de rosas brancas, vermelhas e amarelas; e disse: “Eu sou a Imaculada Conceição. Sou a Mãe da Graça, Mãe do Meu Divino Jesus Cristo”. Descendo os degraus, continuou:
  “Aqui em Montichiari, quero ser chamada “Rosa Mística”.

Desejo que todos os anos, no dia 8 de dezembro, tenha lugar, ao meio-dia, a Hora da Graça Universal, quando numerosos favores para a alma e para o corpo serão distribuídos. Os bons não deixem de orar pelos seus irmãos pecadores. Comuniquem, rapidamente, este Meu desejo ao Papa Pio XII, para que a Hora da Graça se transforme num hábito praticado por todos, em todas as partes do mundo
.......................
Oração à Nossa Senhora da Rosa Mística
Rosa Mística, Virgem Imaculada, Mãe da Graça, para honra de Vosso Divino Filho, nos ajoelhamos diante de Vós, implorando a misericórdia de Deus. Não por nossos méritos, mas, pelo amor de Vosso Coração Maternal, nós vos suplicamos que nos concedais proteção e graça, com a certeza de que nos haveis de atender.
Ave, Maria...
Rosa Mística, Mãe de Jesus, Rainha do Santo Rosário e Mãe da Igreja, corpo místico de Jesus Cristo, nós vos pedimos que concedais ao mundo, dilacerado pela discórdia, a unidade e a paz e todas aquelas graças que podem mudar o coração de tantos de teus filhos.
Ave, Maria...
Rosa Mística, Rainha dos Apóstolos, fazei florescer, à volta dos altares Eucarísticos, muitas vocações sacerdotais, religiosos e religiosas, que difundam, com a santidade de sua vida e com zelo apostólico pelas almas, o Reino de Vosso Filho Jesus por todo o mundo. E derramai sobre nós, também, a abundância de Vossas graças celestiais!
Ave, Maria...
Salve, Rainha...
Maria, Rosa Mística, Mãe da Igreja, rogai por nós!
...........
Nossa Senhora Rosa Mística, em suas primeiras aparições, nos deixa uma mensagem de fé e de esperança para toda a Igreja.

Nossa Senhora Rosa Mística
Em sua mensagem, Nossa Senhora Rosa Mística nos convida a entrar na dinâmica da graça que animou toda a sua existência terrena. As primeiras aparições da Rosa Mística aconteceram em Montichiari (Montes Claros), na Itália, e deram início à esta devoção, que se espalhou por todo o mundo, conforme foi prometido por ela. Nossa Senhora, que apareceu na noite entre 23 e 24 de novembro de 1946 à irmã Pierina Gilli sob o título de Rosa Mística, nos convida a nos voltar para o seu Coração Imaculado e nele encontrar o espírito de “oração, penitência e sacrifício”, que tanto agrada o Sagrado Coração de Jesus Cristo, seu amado Filho. A mensagem da Rosa Mística aponta, à luz do seu “sim” ao mistério da Encarnação do Verbo1, para o “sim” que somos todos chamados a dizer para a vontade de Deus em nossas vidas. Como a Virgem de Nazaré, somos impelidos pelo Espírito Santo a dizer: “Faça-se em mim segundo a Tua Palavra”2. E, movidos também pelo Espírito de Deus, como a irmã Pierina, somos chamados acolher a mensagem da Rosa Mística.

Aos nos deparar com o título de Rosa Mística, podemos pensar em muitas coisas e nos desviar daquilo que é a essência da mensagem das aparições de Nossa Senhora. Para nos livrar deste erro, a própria Virgem Maria, na sua terceira aparição, responde à irmã Pierina: “o nome Rosa Mística não tem, em si, nada de novo. De Rosa Mística fui chamada naquele momento em que meu Divino Filho Jesus se fez homem. Na Rosa Mística está simbolizado o FIAT da Redenção3 e o FIAT da minha colaboração4. Eu sou a Imaculada Conceição, a Mãe do Senhor, a Mãe da Graça e a Mãe do Corpo Místico: a Igreja! A graça do Senhor e a sua misericórdia ainda farão florescer a Rosa Mística na Igreja. […] E, se atenderem ao meu maternal convite, Montichiari se tornará o lugar do qual a luz mística se irradiará para todo mundo. Sim, tudo isso acontecerá!5”

Em sua primeira aparição, em 1947, Nossa Senhora aparece com o semblante triste, com um manto roxo e tinha três espadas cravadas em seu peito. Nesta aparição, os lábios da Virgem Maria se abriram somente para dizer docemente: “oração, sacrifício e penitência”, depois ela ficou em profundo silêncio. Na segunda aparição, a Rosa Mística explica o significado dessas três espadas: a primeira espada significa a perda culposa da vocação sacerdotal ou religiosa; a segunda espada, a vida em pecado mortal das pessoas consagradas a Deus; a terceira espada, a traição daquelas pessoas que, ao abandonarem sua vocação sacerdotal ou religiosa, perdem também a fé e se transformam em inimigos da Igreja6.

Nesta mesma aparição, a Virgem Mãe de Deus estava vestida de branco e no peito, no lugar das três espadas, tinha três lindas rosas, nas cores branca, vermelha e amarelo-dourada, que simbolizam a reparação das “espadas”. A rosa branca significa o espírito de oração com o qual devemos pedir a reparação das vocações traídas, pelas vocações sacerdotais e religiosas. “O brilho da rosa vermelha é para lembrar o espírito de sacrifício, para reparar os pecados mortais cometidos pelas almas consagradas a Deus e mostrar a misericórdia do Senhor que deseja reavivar a chama do amor nos corações”7. A rosa amarelo-ouro significa o espírito da penitência em favor do clero, em reparação ao espírito de traição de Judas.

Assim, Nossa Senhora Rosa Mística é a Mãe de Deus, a Mãe da Graça e a Mãe do Corpo Místico de Cristo, que é a Igreja! Como nos indicou a Rosa Mística, desde a sua primeira aparição, nos coloquemos em “oração, sacrifício e penitência” pelas almas consagradas ao Senhor, especialmente pelos sacerdotes, que são os filhos prediletos da Virgem Maria. Transformemos em lindas rosas as espadas que, pela infidelidade dos servos e servas de Deus, foram cravadas em seu coração de Mãe. Rezemos, de modo especial, o Rosário Mariano, como recomendou a Mãe da Igreja à irmã Pierina para dizer a todos nós: “diga a meus filhos que rezem o santo terço”8. Nossa Senhora Rosa Mística, rogai por nós!

Referências:
1 Cf. Lc 1, 26-38.
2 Lc 1, 38b.
3 A aceitação amorosa, o faça-se (do latim fiat), da Virgem Maria ao sacrifício de seu Filho Jesus Cristo no Calvário. Cf. Jo 19, 25-27.
4 O acolhimento sem reservas, o faça-se (do latim fiat), da Virgem Maria à vontade do Altíssimo, ao mistério da Encarnação do Filho de Deus. Cf. Lc 1, 38.
5 VENTURA, Gregório. Rosa Mística: o jardim celestial perfeito. São Paulo: Palavra & Prece, 2013, p. 97-98.
6 PARÓQUIA ROSA MÍSTICA. História da Rosa Mística.
7 VENTURA, Gregório. Op. cit., p. 101.
8 Idem, p. 100.
http://blog.cancaonova.com/tododemaria/a-mensagem-de-nossa-senhora-rosa-mistica/
,,,,,,,,,,,,,,,,,,,

13 de julho
Em uma pequena cidade da Itália chamada Montichiari e no vilarejo chamado Fontanelle da mesma cidade, no ano de 1946, Nossa Senhora apareceu para uma enfermeira chamada Pierina Gilli, nascida no dia 03 de agosto de 1911 (e faleceu no dia 12 de janeiro de 1991).

Em 1944, Santa Maria Crucifixa Di Rosa, fundadora das Servas da Caridade, passou a aparecer para Pierina.

A primeira etapa das aparições de Nossa Senhora, foi na cidade de Montichiari no dia 23 para o dia 24 de novembro de 1946 e terminaram em 08 de dezembro de 1947.

Pierina permaneceu dezenove anos junto às irmãs do Lírio, de Bréscia, acolhida por caridade. Neste período sofreu a paixão de Nosso Senhor.

A segunda etapa das aparições, ainda foi em Bréscia, junto as Irmãs do Lírio, em 05 de abril de 1960.

A terceira etapa das aparições foi no vilarejo de Fontanelle no dia 14 de abril de 1966 e terminaram praticamente com a sua morte em janeiro de 1991.

Na primeira aparição, Nossa Senhora trazia cravada no peito enormes espadas. Juntamente com a Virgem Santíssima, apareceu Santa Maria Crucifixa que explicou para Pierina o significado das três espadas:

a 1 simboliza a ruína da vocação sacerdotal e religiosa;a
a 2a simboliza a vida pecaminosa que muitos sacerdotes levam;
a 3a simboliza a traição de Judas e o ódio contra a Igreja e dos sacerdotes que se tornam indignos de exercer seu ministério.

Enquanto Santa Maria Crucifixa falava, a linda Senhora aproximou – se de mim, diz Pierina, então pude enxergar duas espessas lágrimas que corriam de seus olhos e percebi a sua doce voz que dizia:

“Oração, sacrifício e penitencia”.
Na aparição seguinte dia 13 de julho de 1947, Nossa Senhora aparece com três lindíssimas rosas no lugar das espadas, de cor branca, vermelha e amarela dourada, que significam :

Rosa branca indica o espírito de oração;
Rosa vermelha indica o espírito de sacrifício e de abnegação;
Rosa amarela dourada indica o espírito de penitencia.

Em seguida, tomando a palavra com um tom de voz de autoridade, que nos transmita uma ordem recebida de Deus, disse:

“Nosso Senhor envia – me para levar uma nova devoção Mariana em todos os institutos e congregações religiosas, masculinas e femininas, também os sacerdotes seculares. Prometo a todos os institutos ou congregações que me honrarem que serão por mim protegidos, terão uma maior florescência de devoções e menos vocações traídas, menos pessoas que ofendem ao Senhor como pecado mortal e grande santidade entre os ministros de Deus”.

São varias as mensagens neste primeiro período das aparições, porém não são reconhecidas e durante 13 anos cessam as aparições, retornando somente no dia 05 de abril de 1960.

No dia 14 de abril de 1966 no vilarejo de Fontanelle, Nossa Senhora diz : “Meu Divino Filho Jesus Cristo, envia – me mais uma vez sobre a terra de Montichiari, a fim de levar muitas graças para toda humanidade. A fonte tornar – se – á milagrosa. A partir deste domingo dia 17 de abril de 1966, os doentes devem ser levados até esta fonte e você deverá, em primeiro lugar, oferecer esta água para que bebam e em seguida lavar as suas chagas. De agora em diante, essa será sua nova missão de ação e de apóstola, não mais escondida e nem mais afastada da comunidade”.

Desde então, Nossa Senhora apareceu muitas vezes fazendo grandes apelos.

No dia 23 de novembro de 1975, Nossa Senhora fala sobre as imagens bentas em Fontanelle e que será remetidas a todo o mundo, Ela diz:

“Onde quer que me detenho diante dessas imagens, levo comigo as graças divinas e o amor que Eu revelei em Montichiari”.

Nossa Senhora da Rosa Mística- Festa 13 de julho

Nossa Senhora apareceu a Pierina Gilli, uma enfermeira da cidade de Montechiari, na Itália, no quarto de um hospital onde ela trabalhava, em 1947. Nessa visão, a Virgem apresentava-se como uma belíssima senhora, vestida com uma túnica púrpura e um véu branco. Em seu peito, três espadas cravavam o coração. Seu rosto demonstrava profunda tristeza. Nossa Senhora chorava e disse à enfermeira: “Oração, Penitência e Expiação.”

Em uma segunda aparição, Nossa Senhora já aparecia com as espadas substituídas por três rosas: uma branca, uma cor de rosa e uma dourada. Nesta aparição, pediu oração pelos sacerdotes através de uma nova devoção mariana a ser instituída em todo o mundo. Pediu também, que o dia 31 de cada mês fosse consagrado a Ela e que, anualmente, todo dia 13 de julho fosse dedicado à Rosa Mística.

Várias outras aparições à Pierina são relatadas e nelas Nossa Senhora sempre pede a oração e a penitência bem como o cuidado com as instituições religiosas e as vocações sacerdotais. Além disso, realiza muitas curas. Em uma das aparições, manifestou o desejo de ser venerada como Nossa Senhora da Rosa Mística e decretou o meio-dia do dia 8 de dezembro, festa da Imaculada Conceição, como a “hora da graça”.

Há uma interpretação para o simbolismo das três espadas e das três rosas que apareceram no coração de Maria. A primeira espada representa a escassez das vocações; a segunda, os pecados mortais dos sacerdotes, monges e monjas e, a terceira, seria a representação do sofrimento pelos dos sacerdotes e monges que cometem a mesma traição de Judas. Já as rosas simbolizam: a rosa branca, o espírito de oração; a vermelha, o espírito de expiação e sacrifício e, a dourada, o espírito de penitência – os três pedidos de Nossa Senhora aos fiéis.

CONSAGRAÇÃO A NOSSA SENHORA ROSA MÍSTICA
Ó Maria Santíssima, Senhora Rosa Mística, eu me consagro inteiramente a vós.
Consagro-vos o meu entendimento, para que eu possa sempre vos amar.
Consagro-vos a minha língua, para que eu possa sempre vos louvar.
Consagro-vos o meu coração, para que eu seja totalmente vosso.
Recebei-me, ó Mãe incomparável, no ditoso número de vossos servos. Acolhei-me debaixo de vossa proteção,
socorrei-me em minhas necessidades temporais e espirituais e, sobretudo, na hora da minha morte.
Abençoai-me e fortalecei a minha fé para que, amando-vos nesta vida, eu possa contemplar para todo sempre
a vossa face, no céu.
Amém.

Autor: Gilda Carvalho
fonte:http://www.a12.com/santuario-nacional/formacao/detalhes/nossa-senhora-da-rosa-mistica
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

REZAI O TERÇO DAS LÁGRIMAS DE SANGUE TODOS OS DIAS E ESPALHAI-O, PARA QUE O MUNDO SE CONVERTA E TENHA PAZ. "O INIMIGO FOGE ONDE ELE É REZADO"

Oração:
Jesus crucificado: Prostrado aos vossos pés, oferecemo-vos as lágrimas de sangue daquela que com grande amor compadecente vos acompanhou no caminho da cruz, tão doloroso.

Bom mestre, fazei que tomemos a peito os ensinamentos das lágrimas de sangue da vossa Santíssima Mãe, para que cumpramos vossa santa vontade na terra assim que sejamos dignos de glorificar-vos eternamente no céu. Amém.
Sete mistérios: Meditar nas Sete Dores de Nossa Senhora.

Primeira Dor:
Apresentação de meu Filho no templo.

Segunda Dor:
A fuga para o Egito.

Terceira Dor:

Perda do Menino Jesus.

Quarta Dor:
Doloroso encontro no caminho do Calvário.

Quinta Dor:
Aos pés da Cruz.

Sexta Dor:
Uma lança atravessa o Coração de Jesus.

Sétima Dor:
Jesus é sepultado.

Nas contas grandes:
Oh! Jesus, olhai para as lágrimas de sangue daquela que mais Vos amou no mundo e Vos ama mais intensamente no céu.

Em vez da Ave-Maria, reza-se sete vezes:

Oh! Jesus, atendei às nossas súplicas: em virtude das lágrimas de sangue da Vossa Mãe Santíssima.

No final do terço reza-se três vezes:
Oh! Jesus, olhai para as lágrimas de sangue daquela que mais Vos amou no mundo e Vos ama mais intensamente no céu.

Oh! Maria, Mãe do amor, das dores e da misericórdia, nós vos pedimos, uni as vossas súplicas com as nossas, para que Jesus, Vosso Divino Filho, a quem nós nos dirigimos, atenda os nossos pedidos, em nome das Vossas lágrimas de sangue, concedendo-nos com as graças pedidas a coroa da vida eterna. Amém.

As Vossas lágrimas de sangue, oh! Mãe Dolorosa, fazem fracassar a soberania do inferno!
Por vossa mansidão divina, oh! Jesus algemado, preservai o mundo da catástrofe eminente!
Amém!

Nossa Senhora Rosa Mística é o título atribuído à Virgem Maria, mãe de Jesus, a partir das suas inúmeras aparições, decorridas entre 1947 e 1984, nas localidades de Montichiari e Fontanelle, na Itália, à vidente Pierina Gilli.

De acordo com os relatos, a Santíssima Virgem terá aparecido vestida de branco, primeiramente com três espadas cravadas no peito e depois com três rosas substituindo as espadas: uma rosa era branca, simbolizando a oração; outra rosa era vermelha, simbolizando o sacrifício; e a outra rosa era amarela, simbolizando a penitência.

O principal tema abordado por Nossa Senhora nestas aparições foi as vocações sacerdotais e religiosas, e a necessidade de oração para que os religiosos do mundo inteiro possam cumprir a sua missão evangelizadora e que sejam, de facto, instrumentos do amor de Deus.

No seguimento das aparições decorridas na Itália, as quais já contam com aprovação do bispo para o culto e celebrações no local, vários outros relatos de aparições surgiram noutros locais do mundo, em particular no Brasil, mas sem o reconhecimento da Igreja Católica.

Nossa Senhora Rosa Mística é a Mãe de Deus, a Mãe da Graça e a Mãe do Corpo Místico de Cristo, que é a Igreja!

Como nos indicou a Rosa Mística, desde a sua primeira aparição, nos coloquemos em “oração, sacrifício e penitência” pelas almas consagradas ao Senhor, especialmente pelos sacerdotes, que são os filhos prediletos da Virgem Maria.

Transformemos em lindas rosas as espadas que, pela infidelidade dos servos e servas de Deus, foram cravadas em seu coração de Mãe.

Rezemos, de modo especial, o Rosário Mariano, como recomendou a Mãe da Igreja à irmã Pierina para dizer a todos nós: “diga a meus filhos que rezem o santo terço”. Nossa Senhora Rosa Mística, rogai por nós!
http://paroquiasaoconradorj.blogspot.com.br/2015/07/nossa-senhora-da-rosa-mistica.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário